Paralisação das Montadoras favorece Venda de Carros Seminovos



Falta de veículos zero km aumenta fila de espera e torna veículos seminovos mais atrativos.

Devido ao insumo e à falta de trabalhadores causados ​​pela nova pandemia do coronavírus (Covid-19), muitas indústrias automotivas paralisaram por vários dias (ou até meses) ou até reduziram a produção, e isso refletiu no aumento da revenda de carros usados ​​e semi usados. Isso não só aumentará o valor, como também gerará seis meses de filas nas concessionárias, dependendo do estilo de carro procurado.

O Multi Group é um exemplo disso, a empresa está com muito pouco estoque. Os modelos mais populares, como o Nissan Kicks, o novo Nissan Versa e o Mitsubishi L200 Triton, todos têm uma lista de espera de 60 dias a 6 meses. Os modelos simulam grandes obstáculos, que, por exemplo, levaram a Nissan a tirar férias coletivas na fábrica da cidade de Resende (RJ) no dia 26 de março e a previsão de retomar a produção está marcada para o dia 12 de abril.



Marral Lage, atual presidente do Grupo Multi, afirmou que tudo dependerá do desenvolvimento da pandemia e da restauração das fábricas para se chegar à padronização da produção e dos serviços. Além disso, a empresa disse que colocará esses modelos em estoque e esclarecerá os prazos de entrega para os clientes. O Fiat Strada é outro estilo na fila, cerca de 90 dias antes da chegada do carro, em parte, por causa da forte demanda por esse estilo, que é a maior demanda esperada no ano passado e já começou a competir com ele. Layza Prachedes Rolim, gerente de marketing da companhia, disse que a Chevrolet Onix manteve a liderança em vendas por cinco anos consecutivos, de modo que o caminhão se tornou líder de mercado do Espírito Santo, ocupando a posição mais sensível em vendas.

Leia também:  Amortecedores do Carro - Quando Trocar, Sinais de Problema e Dicas de Manutenção

"Os telefonemas foram muito entusiasmados e acabaram gerando filas. Além da falta de peças de reposição para a produção, as vendas aumentaram. Todos vivemos em um cenário instável." Ele disse que o mercado automobilístico também foi afetado. A produção caiu e o tempo de entrega aumentou. "Para a maior distribuidora do estado, o crescimento das vendas é constante. Segundo Murilo Larrubia, diretor de marketing da Vessa, a empresa apurou que a demanda por carros 0km foi de 20% a 25% maior que no mesmo período do ano passado. A concessionária também anunciou 30 a 90 dias de tempo de fila, basicamente nas séries Chevrolet Onix e Chevrolet Tracker. “Informamos todos os consumidores do tempo estimado de entrega, e todos sabem, embora algumas pessoas optem por comprar outros carros do estoque fornecido pela Vessa", disse Murilo.



Como a produção doméstica da GM foi interrompida, ele acrescentou que a concessionária tem o estoque mais recente do Onix, que é o modelo mais popular da marca. “Isso varia muito e depende muito do estilo. É para verificar o que está no estoque e o que está na fila. Dependendo do estilo e da versão, o máximo é de 90 dias. Disse, mas a média é de 30 polegadas. Por sua vez, CVC Vitia espera um modelo mais rápido e informa que o estoque máximo efetivo de veículos foi padronizado. Rodolpho Albert, gerente de vendas da concessionária, acredita que os produtos mais procurados para esses modelos são as versões em série, e você terá que esperar ou decidir migrar para outras configurações. A General Motors suspenderá a produção em abril e maio e retornará à linha de produção do Onix em junho. Mas outros modelos continuarão a ser produzidos. Vamos pintar com o que está em estoque e o que recebemos da produção.

Leia também:  Toyota anuncia Recall do Corolla

Também migramos consumidores. Ele observou que para carros com preços e configurações semelhantes, se a urgência de compra for maior, seus preços são mais adequados. Outro agente do Grupo Prime é a Caoa Chery. Como quase todos os modelos estão em estoque, pode haver falta de cores ou tendências claras. “O prazo máximo para cumprir essas exceções é de 30 dias. No Caoa Chery, a voz está cada vez mais alta”, disse Antinio Soares, diretor de publicidade do Grupo Prime.

Por Daniela Almeida da Silva

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *