Hilux 2015 – Análise, Preço, Versões, Consumo



Confira aqui todos os detalhes sobre a Hilux 2015 e se vale a pena comprar o carro.

A caminhonete Hilux 2015 chegou ao Brasil para conquistar uma fatia do mercado ocupado pela, então líder de vendas, Chevrolet S10. O modelo Limited Edition, fabricado na Argentina, teve apenas 3 mil unidades produzidas e custava R$ 155.650. Apesar de ser um modelo de produção limitada, as mudanças eram apenas em seu design, já que não havia diferença mecânica entre ela e sua versão flex topo de linha.

Externamente, o modelo não contava com grandes melhorias, exceto por: adicionar proteção para a carroceria e parachoque, além do santantônio como um acessório padrão. A Hilux 2015 também ganhou novas rodas de liga leve de 17 polegadas.



Bancos com regulagem elétrica, GPS, central multimídia, vidros e travas elétricas eram alguns dos itens que compunham a versão topo de linha. Além disso, o computador de bordo mostrava a autonomia, o consumo médio e o instantâneo, alertas de revisões a serem feitas e hodômetro, que exibe a distância percorrida pelo veículo.

Para garantir desempenho e segurança, a Hilux 2015 possui sistema de tração integral, faróis de neblina, freios ABS e controle de estabilidade. A caminhonete tinha duas opções de motorização, na primeira era alimentada por um motor 2.7 flex de 150 cv de potência, que funcionava em conjunto com um câmbio automático de apenas 4 velocidades. Enquanto o propulsor 3.0 a diesel entregava 171 cv de potência. Nesse caso, era possível optar entre o câmbio manual ou automático.



O desempenho do modelo diesel agradou os consumidores, mas a versão flex deixou a desejar em alguns quesitos. A Hilux 2015 flex atingia de 0-100 Km/h em 15 segundos, obtendo a velocidade máxima de 165 Km/h. Já as versões a diesel atingiam a velocidade 0-100 Km/h em apenas 11 segundos, além de ter um desempenho máximo de 180 Km/h.

Leia também:  Tabela FIPE Fiat Grand Siena

O consumo do modelo flex também não era dos mais econômicos, sendo responsável por fazer apenas 5 km/l na cidade e 8 Km/l na pista. A Hilux com propulsor a diesel é capaz de oferecer autonomia de 9.5 Km/h na cidade e 11.2 Km/h na estrada.

O preço da Hilux versão flex se iniciava em R$99.000, com tração 4×2. Já a versão a diesel não podia ser encontrada por menos de R$ 120.500.

Hilux: Desempenho e estilo ao longo de 8 gerações

Conhecida como Tacoma nos Estados Unidos, a Toyota lançou seu primeiro modelo de Hilux em 1969, a picape, compacta até então, o modelo Scout. Inicialmente, a proposta era criar um veículo bastante limitado para o trabalho, o que fazia da primeira geração um modelo pouco voltado para lazer.

A primeira geração era bastante compacta, graças ao seu comprimento de 4,21 metros. O motor era um 1.5 com 70 cv de potência, atingindo os 130Km/h. Com o sucesso das vendas, a segunda geração não demorou a aparecer. Agora, a caminhonete ganhou um novo design, com faróis e tamanho um pouco maior. A Toyota investiu em novas versões de motorização, sendo a primeira opção um motor de 1.6 e 80 cv, enquanto a segunda opção contava com um motor 2.0 e 105 cv de potência.

Com o slogan de “Nascida no Japão, amadurecida nos Estados Unidos”, a terceira geração da Hilux se tornou um marco para a Toyota. Em 1979, o motor recebeu tração integral para as versões abastecidas a gasolina, enquanto a tração 4×2 estava disponível para o modelo a diesel. Foi nessa geração, que a Hilux recebeu modificações em sua cabine, tendo agora duas fileiras de bancos.

Durante a quarta geração, a Toyota investiu em motores 1.6 e 2.0 movidos a gasolina, e 2.2 e 2.4 a diesel. Os modelos equipados com os motores 2.0 e 2.4 contavam com tração 4×4, enquanto para o restante a tração 4×2 era padrão. Foi durante essa geração que a Toyota adicionou a versão Hilux SW4.

Leia também:  Preços do Toyota Corolla, Hilux e SW4 2017

A quinta geração da Hilux de 1988, a colocou no mercado mundial. Os modelos passaram a ser fabricados em Hannover, em parceria com a Volkswagen, que a colocou no mercado com o nome de Taro. Em 1997, a Hilux passou a ser fabricada também na Argentina e não recebeu mudanças em seu design, no entanto, o modelo passou a ter uma motorização de 3.0 diesel de 91 cavalos.

Inspirada no sedan Corolla, também da Toyota, a Hilux de sétima geração inovou em estilo, principalmente em seu interior. Apesar do design voltado para o lazer, a caminhonete cabine dupla de 5,25 metros, contava com motor turbo diesel 3.0 de 163cv. Já a oitava geração teve início no ano de 2015 e investiu muito em tecnologia, como, por exemplo, a opção de acionar a tração integral ao pressionar um único botão. O motor também impressiona, são 177cv de potência gerados por um motor 2.8 turbo diesel.

Wendel George Peripato

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *