Etanol na Gasolina – Aumento do Percentual nos Próximos Anos

  

  

Decreto pode elevar o percentual de etanol dentro da gasolina.

Acaba de surgir em cenário nacional uma notícia que apesar de recente já está criando muita polêmica no país. é que um Jornal anunciou que nos próximos dias o presidente da república irá anunciar um decreto em que a quantidade de álcool inserido na gasolina vai aumentar. E a discussão se cria em torno desse aumento, pois isso acaba envolvendo outras questões que vão direto para o bolso do brasileiro. Continue lendo este artigo e saiba mais sobre a polêmica.

Está previsto para os próximos dias a realização e mais um decreto por parte de Michel Temer. Ao que tudo indica será anunciado que o percentual da substância álcool anidro que compõe a mistura da gasolina brasileira vai aumentar.


Atualmente a gasolina comercializada no Brasil possui o equivalente a 27 % de álcool anidro. Assim, a expectativa é de que essa quantidade seja aumentada de forma gradual em até 40%, até o ano de 2030.

Especialistas apontam que esse aumento de etanol na composição da gasolina se deve a uma questão de ajuste com o que é cobrado na atualidade em relação às questões ambientais, relacionadas a emissão de gases poluentes. Trata-se de uma regulamentação que faz parte de um programa de biocombustíveis que determina que haja uma diminuição na quantidade de poluentes que se originam dos derivados do petróleo, sendo que a gasolina é um deles.

Se a quantidade de álcool na mistura da gasolina deve aumentar, disso as pessoas não se opõem, até mesmo por essas questões ambientais. O problema maior é que esse aumento vai ter outras consequências, como o aumento do combustível. Que, diga-se de passagem, já vem sofrendo aumentos desde o ano de 2016, quando uma forte crise se instalou na economia do país, complicando ainda mais a vida da maioria dos brasileiros.

  

Pois bem, o que sabemos pelo menos em termos de estimativas é que esse aumento do álcool anidro na composição da gasolina vai fazer com que o combustível também sofra um aumento no seu valor. Inicialmente fala-se em algo em torno de R$0,06 por litro de gasolina. Valor este que pode ainda ser aumentado.

Mas há ainda outros problemas como perdas em relação aos tributos. De acordo com o que indicam os especialistas, algo em torno de 4 bilhões de reais serão perdidos na arrecadação anual de tributos, pois algumas cobranças pela gasolina como Cofins, PIS e Cide serão reduzidas, uma vez que ela terá uma quantidade maior de álcool na sua composição.

Outro problema que pode ocorrer relaciona-se a uma provável falta do combustível etanol nos postos de abastecimento. Desencadeando outro problema, agora relacionado à produção do açúcar que também deve ser afetada, já que atualmente 55 % da produção açucareira é exclusiva para a produção de combustíveis. A partir do decreto essa percentagem deve subir para 61%.

Em resumo, se este decreto realmente acontecer, novos problemas devem surgir no cenário nacional, onde já existem grandes problemas. Mais uma vez os brasileiros terão que arcar com esses custos e não deve sair nada barato.

Contudo, apesar da grande repercussão sobre essa notícia, ainda não há nada oficialmente confirmado. Ao contrário, há quem diga que no decreto que deve acontecer nos próximos dias esta questão não estará incluída, pois tudo o que estará no decreto foi sancionado pelo presidente Michel Temer no mês de dezembro do ano passado e essa questão não estava incluída. Esse projeto chegou a ser apresentado no Congresso Nacional, porém, não chegou nem a tramitar, sendo inicialmente excluído.

Nesse sentido, resta-nos aguardar que o decreto seja realizado para assim verificarmos até onde essas afirmações são ou não verdadeiras. Mas, se não for agora, em outro momento essa questão ressurgirá pois esse aumento na proporção de etanol na gasolina faz parte de uma regulamentação que mais cedo ou mais tarde terá que vigorar.

Sirlene Montes

Compartilhe esta notícia