Carros Flex – Como Abastecer?




Entenda como funcionam os carros com motor flex e como usar os combustíveis neles.

As novas tecnologias que surgem no mercado automotivo têm auxiliado de maneira importante a vida dos motoristas com dinâmicas de atuação como aquela relacionada aos carros flex que serão abordados em detalhes neste artigo.

O uso da inovação dos veículos que podem usar dois combustíveis diferentes teve início no cenário nacional em 2003 e, na atualidade, a maioria dos modelos já sai da fábrica com esta alternativa para seus consumidores diretos.


Mudança de combustível e prejuízos ao motor flex

Um dos grandes aspectos que são abordados quando se pensa em adquirir um dos modelos de carros flex consiste na possibilidade de que a colocação do etanol possa prejudicar o funcionamento de seu motor vinculado.

Com relação a este assunto, as montadoras de veículos concordam de forma unânime no fato de que não existe nenhum tipo de prejuízo porque o sistema de injeção do combustível neste tipo de automóvel identifica o tipo de combustível que está sendo retirado do tanque.

Através desta identificação específica ocorre a modificação no sistema mecânico do carro tipo flex de todos os parâmetros para um melhor funcionamento com a escolha efetuada sem misturas ou danos ao motor de seu bem considerado.


Melhor combustível para abastecer carros flex

Como os carros flex possuem capacidade para funcionar de maneira adequada com gasolina e etanol não existe um combustível mais adequado já que seu sistema foi feito para um funcionamento com os dois juntos ou, ainda, de forma separada.

Por isso, pode haver o abastecimento das duas opções de maneira conjunta ou apenas de um deles para aqueles motoristas que têm preferência por um tipo determinado de item direcionado ao funcionamento de veículos.

Assim, os sistemas de injeção eletrônica desta modalidade de veículo têm capacidade para se ajustar, de forma constante, às misturas a ele adicionadas conseguindo o melhor desempenho e consumo possível nesta forma de funcionamento relacionada.

Frequência ideal de uso para combustível nos carros flex

O funcionamento especificado dos carros flex possui o chamado Sensor Lambda, ou sensor de oxigênio, que identifica se a mistura de combustível apresenta maior quantidade de combustível – rica – ou com proporção maior de ar – pobre.

Por meio desta informação ocorre uma correção pelo sistema do automóvel de sua modalidade de injeção corrigindo a quantidade do combustível que vai ser liberada para que a sua queima ocorra de maneira completa.

Assim, de forma geral não ocorrem problemas em usar por um longo período de tempo apenas um tipo de combustível em carros com tecnologia flex, pois o sistema de injeção eletrônica que possuem corrige a mistura presente bem como o seu ponto relacionado de ignição.

Cuidado importante para manter carros flex

É preciso, no entanto, que os proprietários de carros flex tenham um cuidado relacionado com o seu abastecimento vinculado com o fato de que ao finalizar um tipo de combustível ocorre a pretensão de abastecer com a outra possibilidade.

Neste caso, é preciso que o novo combustível rode no motor por pelo menos 10 minutos antes que o carro seja desligado, sendo que este cuidado evita a ocorrência de problemas na nova partida que seja dada após o abastecimento.

Isto se justifica pelo fato de que no momento da necessidade de uma troca completa de combustível, o tanque está quase vazio e seus sensores demoram um pouco mais para reconhecer o tipo de opção efetuada, sendo que quando esta mudança é feita de maneira gradativa o motorista nem mesmo percebe a sua ocorrência.

Conclusão

Desta forma, os carros flex consistem em oportunidades interessantes para quem deseja esta variação de combustível sendo preciso apenas atenção para os cuidados específicos que exigem de seus proprietários delimitados.

Por Ana Camila Neves Morais

Abastecer carro flex

Compartilhe esta notícia