Tabela FIPE Ford F-100




Preços da Tabela Fipe para Ford F-100

Legenda:
G = Gasolina ou Flex
E = Etanol
D = Diesel

1986

  • 2.3 (G): R$ 6.446,00
  • Blazer 2.3 (G): R$ 8.009,00
  • CD 2.3 (G): R$ 8.085,00
  • Super 2.3 (G): R$ 7.680,00
  • Super Série 2.3 (G): R$ 8.326,00

1985

  • 2.3 (G): R$ 5.479,00
  • Blazer 2.3 (G): R$ 7.213,00
  • CD 2.3 (G): R$ 7.210,00
  • Super 2.3 (G): R$ 6.688,00
  • Super Série 2.3 (G): R$ 7.409,00

Veja aqui os preços do Ford F-100 na Tabela FIPE.

Em uma fábrica instalada em São Paulo, em 1957, saía um novo modelo da Ford, a picape F-100, que trazia traços semelhantes ao modelo do caminhão F-600, lançado no ano anterior.


A F-100 era uma derivação da geração de picapes de 1953 e também se parecia com a versão dos EUA DE 1956.

Trazia um motor V8 4.5 de 167 cavalos de potência e 38,7 kgfm de torque. A transmissão era manual de três marchas na direção mecânica. Até o ano de 1858 seu propulsor foi importado, depois passou a ser produzido também no Brasil.

Visualmente sua cabine era simples, com uma caçamba do tipo step-side, que foi muito criticada por ser relativamente estreita e imprópria para determinados trabalhos, o que levava muitos proprietários a substituírem por uma caçamba de madeira. Já os para-lamas eram mais volumosos. Seu sistema de freios era a tambor, tanto na dianteira, como na traseira.


Devido a esses problemas, a Ford lançou a versão F-100 sem a caçamba. Até que em 1959, a picape passou por modificações visuais, recebendo um envolvente e maior para-brisa e também um novo painel de instrumentos que trazia as cores amarelo e verde, lembrando a produção brasileira, além do nome “brasileiro” marcado no modelo.

A caçamba maior veio na versão de 1961, a Styleside. Surgiram também a perua e o furgão.

Com o tempo observou-se que a F-100 deixou de servir apenas para o trabalho e se tornou um carro também de passeio. O que levou a Ford a lançar mais duas versões em 1965, a Passeio e a Rancheiro, ambas com características voltadas para suas finalidades.

Em 1968 chega a Twin-I-Beam, uma versão que trazia a suspensão dianteira independente, com molas helicoidais. A nova versão oferecia muito conforto e dirigibilidade.

No ano de 1979, a F-100 passou a ser chamada de F-1000 e trazia a opção do uso de motor movido a diesel, freios dianteiros a disco, direção hidráulica, além da capacidade de carregar uma tonelada em cargas. Tudo isso sem abandonar diversos itens que a F-100 trazia e agradava a muitos.

Sem dúvidas a F-100 teve uma participação muito importante para a Ford do Brasil, possuindo admiradores até os dias de hoje.

Sirlene Montes

Compartilhe esta notícia