Tabela FIPE Chevrolet Tracker




Preços da Tabela Fipe para Chevrolet TRACKER

Legenda:
G = Gasolina ou Flex
E = Etanol
D = Diesel

0km

  • LT 1.4 Turbo 16V Flex 4x2 Aut. (G): R$ 83.854,00
  • LTZ 1.4 Turbo 16V Flex 4x2 Aut. (G): R$ 94.676,00
  • Premier 1.4 Turbo 16V Flex Aut (G): R$ 96.798,00

2018

  • LT 1.4 Turbo 16V Flex 4x2 Aut. (G): R$ 78.253,00
  • Premier 1.4 Turbo 16V Flex Aut (G): R$ 87.836,00

2017

  • LT 1.4 Turbo 16V Flex 4x2 Aut. (G): R$ 75.124,00
  • LTZ 1.4 Turbo 16V Flex 4x2 Aut. (G): R$ 85.940,00

2016

  • LT 1.8 16V Flex 4x2 Aut. (G): R$ 66.903,00
  • LTZ 1.8 16V Flex 4x2 Aut. (G): R$ 75.041,00

2015

  • LTZ 1.8 16V Flex 4x2 Aut. (G): R$ 68.147,00

2014

  • Freeride 1.8 16V Flex 4x2 Mec. (G): R$ 50.195,00
  • LTZ 1.8 16V Flex 4x2 Aut. (G): R$ 64.677,00

2009

  • 2.0 16v 128cv MPFI 4x4 5p (G): R$ 29.843,00

2008

  • 2.0 16v 128cv MPFI 4x4 5p (G): R$ 26.161,00

2007

  • 2.0 16v 128cv MPFI 4x4 5p (G): R$ 25.389,00

2004

  • 2.0 4x4 TB Int. Diesel 4p (E): R$ 31.062,00

2003

  • 2.0 4x4 TB Int. Diesel 4p (E): R$ 30.121,00

2002

  • 2.0 4x4 TB Int. Diesel 4p (E): R$ 28.259,00

2001

  • 2.0 4x4 TB Int. Diesel 4p (E): R$ 25.901,00

2000

  • 2.0 4x4 TB Int. Diesel 4p (E): R$ 22.068,00

1999

  • 2.0 4x4 TB Int. Diesel 4p (E): R$ 20.173,00

Veja aqui os preços do Chevrolet Tracker na Tabela FIPE.

Apesar de muito criticada por alguns (o que não será nosso tema aqui), a Chevrolet Tracker surgiu de uma parceria feita entre a GM e a Suzuki. Isso lá em 1989. O que pouca gente sabe é que por trás da Tracker estava um problema de segurança que foi identificado em um outro modelo de carro da marca japonesa, o Suzuki Samurai.


Pois bem, voltando à parceria, dela surgiu um modelo de carro que acabaria por originar a Tracker e Suzuki Vitara. A princípio, ele foi comercializado sob esse nome no mercado e foi trazido em 1991 para o Brasil. Entretanto, nos EUA esse carro já era vendido como um Chevrolet Tracker. No Canadá ele recebeu o nome de GMC Tracker.

No caso do Brasil, o Tracker ainda continuaria sendo vendido como Suzuki Vitara até meados de 1998. Nessa ocasião ele sai de cena para ceder lugar para o Suzuki Gran Vitara. Este modelo permaneceu no mercado nacional até 2003.

Voltando um pouco, para 2001, ao mesmo tempo em que o Gran Vitara era vendido pela Suzuki, a Chevrolet trouxe para o mercado a Tracker. Essa “primeira” versão lançada por aqui contava com um motor 2.0 turbodiesel.


Pelo bem da verdade era basicamente a mesma coisa que o Gran Vitara era. As “alterações” ficavam mesmo por conta dos “sinais” da Chevrolet (a famosa gravatinha borboleta) fixados na grade dianteira do carro.

Essa primeira versão da Tracker apresentada pela Chevrolet para o mercado brasileiro permaneceu na linha de venda até 2004.

Já em 2007 a marca reavaliou algumas coisas e fez algumas modificações no carro. A aposta agora era em um motor 2.0 16v a gasolina. O carro passaria a contar também com tração 4×4, além de contar com 128 cv de potência. As mudanças feitas pela montadora tinham o claro objetivo de tornar a Tracker capaz de concorrer com a Ecosport da Ford. Essa versão movida a gasolina foi vendida entre 2008 e 2009.

Quando 2012 chegou, a Chevrolet resolveu anunciar que uma nova Tracker chegaria ao mercado. A princípio o carro foi divulgado como Trax, mesmo nome que era usado na Europa e no México. Mas, por pura conveniência, a marca rebatizou o carro já que o Tracker já era conhecido entre os brasileiros.

Já essa versão que apareceu em 2012 tinha um visual moderno e futurista. Permaneceu no mercado entre 2013 e 2014, visando brigar com o Renault Duster e o Ecosport. Esse novo modelo vinha com um motor 1.8 Ecotec integrado, podendo gerar 140/144 cv de potência. Ele foi disponibilizado com duas opções de câmbio, sendo uma manual de cinco marchas e a outra automática de seis marchas.

Por Denisson Soares

Compartilhe esta notícia