Tabela FIPE Chevrolet Suburban




Preços da Tabela Fipe para Chevrolet Suburban

Legenda:
G = Gasolina ou Flex
E = Etanol
D = Diesel

2015

  • 5.7/ 6.5 V8/ 5.3 V8 (G): R$ 253.963,00

2012

  • 5.7/ 6.5 V8/ 5.3 V8 (G): R$ 190.590,00

2011

  • 5.7/ 6.5 V8/ 5.3 V8 (G): R$ 166.472,00

2010

  • 5.7/ 6.5 V8/ 5.3 V8 (G): R$ 147.123,00

2009

  • 5.7/ 6.5 V8/ 5.3 V8 (G): R$ 142.674,00

2008

  • 5.7/ 6.5 V8/ 5.3 V8 (G): R$ 136.229,00

2007

  • 5.7/ 6.5 V8/ 5.3 V8 (G): R$ 125.952,00

2006

  • 5.7/ 6.5 V8/ 5.3 V8 (G): R$ 108.741,00

2005

  • 5.7/ 6.5 V8/ 5.3 V8 (G): R$ 87.900,00

1997

  • 5.7/ 6.5 V8/ 5.3 V8 (G): R$ 34.270,00

1996

  • 5.7/ 6.5 V8/ 5.3 V8 (G): R$ 33.255,00

1995

  • 5.7/ 6.5 V8/ 5.3 V8 (G): R$ 31.926,00

1994

  • 5.7/ 6.5 V8/ 5.3 V8 (G): R$ 28.219,00

1993

  • 5.7/ 6.5 V8/ 5.3 V8 (G): R$ 25.754,00

Veja aqui os valores do Chevrolet Suburban na Tabela FIPE.

Já pensou que existe uma fabricante de carros que até hoje comercializa um modelo de 1935? Pode até parecer mentira, mas é exatamente isso que General Motors faz com um utilitário da marca, o Suburban. A título de curiosidade, o carro já está no mercado há mais de 80 anos. Isso é mais do que a Toyota tem de existência (78 anos) e a Volkswagen (que ainda vai fazer 70 anos).


A história do Suburban tem seu início com a criação de um furgão de carga pensado para possuir três fileiras de bancos. Sendo baseado no chassis de uma picape, o tal furgão teria capacidade para levar até oito pessoas. Tecnicamente ele foi desenvolvido para um público bem restrito: Servir como carros para frotas de governo. Na época de seu surgimento era movido por um motor de 3,4 litros. Eram seis cilindros em linhas com os míseros 60 cv. Porém, em 1937 o motor recebeu um “upgrade” e passou a contar com 79 cv.

Já em 1941 foi quando o modelo teve a alteração mais importante em seu visual. Com uma certa inovação, passou a ser mais imponente, contando com faróis em forma de bala e uma grade frontal com frisos verticais bem proeminente.

Mesmo com a chegada da Segunda Guerra, quando basicamente se deu um lapso na fabricação de automóveis de passeio, o Suburban continuou sendo produzido. O que era bem lógico, já que servia para o transporte de material bélico e das tropas.


Com o fim da Guerra, uma nova carroceria foi desenhada para o carro, isso em 1947. Pulando para o ano de 1954, veríamos a versão com transmissão automática (Hydra-Matic) de quatro velocidades, que por sua vez, era integrada ao propulsor batizado de Thriftmaster de 3,9 litros e agora com 112 cv.

Porém, somente em 1960 é que as famílias americanas começaram a ser atraídas pelo carro. O modelo a esta altura já era elogiado por apresentar um conforto significativo. Três anos depois apareceram os novos motores com seis cilindros e apenas dois anos mais tarde chegaria o elogiado e potente V8 de 5,4 litros. A capacidade era para 220 cv.

Aqui no Brasil a GM decidiu por produzir três opções do Suburban, sendo elas a Amazona 1959, seguida pelo C1416 e que mais tarde foi rebatizada para Veraneio e por fim, a versão de 1989, que era uma Veraneio, porém mais simples do que o Suburban comercializado a partir de 1973. Depois que foi batizada de Veraneio, a história do agora antigo Suburban continuou. Mas isso fica para uma outra hora.

Por Denisson Soares

Compartilhe esta notícia