Tabela FIPE Chevrolet Sonic




Preços da Tabela Fipe para Chevrolet SONIC

Legenda:
G = Gasolina ou Flex
E = Etanol
D = Diesel

2014

  • HB LT 1.6 16V FlexPower 5p Aut. (G): R$ 35.240,00
  • HB LT 1.6 16V FlexPower 5p Mec. (G): R$ 34.152,00
  • HB LTZ 1.6 16V FlexPower 5p Aut. (G): R$ 35.875,00
  • HB LTZ EFFECT 1.6 16V FlexP 5p Aut (G): R$ 38.764,00
  • Sed. LTZ 1.6 16V FlexPower 4p Aut. (G): R$ 37.256,00
  • Sed. LTZ 1.6 16V FlexPower 4p Mec. (G): R$ 36.997,00

2013

  • HB LT 1.6 16V FlexPower 5p Aut. (G): R$ 33.798,00
  • HB LT 1.6 16V FlexPower 5p Mec. (G): R$ 32.810,00
  • HB LTZ 1.6 16V FlexPower 5p Aut. (G): R$ 34.812,00
  • HB LTZ 1.6 16V FlexPower 5p Mec. (G): R$ 34.496,00
  • Sed. LT 1.6 16V FlexPower 4p Aut. (G): R$ 33.675,00
  • Sed. LT 1.6 16V FlexPower 4p Mec. (G): R$ 32.388,00
  • Sed. LTZ 1.6 16V FlexPower 4p Aut. (G): R$ 35.789,00
  • Sed. LTZ 1.6 16V FlexPower 4p Mec. (G): R$ 34.257,00

2012

  • HB LT 1.6 16V FlexPower 5p Mec. (G): R$ 31.541,00
  • HB LTZ 1.6 16V FlexPower 5p Aut. (G): R$ 33.715,00
  • HB LTZ 1.6 16V FlexPower 5p Mec. (G): R$ 33.477,00
  • Sed. LT 1.6 16V FlexPower 4p Mec. (G): R$ 31.355,00
  • Sed. LTZ 1.6 16V FlexPower 4p Aut. (G): R$ 34.058,00
  • Sed. LTZ 1.6 16V FlexPower 4p Mec. (G): R$ 32.097,00

Veja aqui os preços do Chevrolet Sonic na Tabela FIPE.

O Chevrolet Sonic teve uma passagem super-rápida aqui pelo Brasil. Só permaneceu no mercado entre os anos de 2012 e 2014. Entretanto, é interessante nos lembrarmos dele por um aspecto em particular: Um bom veículo, mas que foi abandonado pela fabricante e consequentemente acabou sendo esquecido pelo mercado. Como dissemos, ele chegou aqui em 2012 e praticamente não havia divulgação a seu respeito. Ainda assim, a sua finalidade seria ocupar o espaço que seria deixado pelo fim do Agile e ainda concorrer frente a frente com o Ford New Fiesta e o Honda Fit.


O Sonic era importado da Coreia do Sul, mais tarde passou a vir do México. Porém, como ele acabou ficando de fora da isenção do imposto de importação, o seu custo-benefício foi bem afetado.

O estilo apresentado pelo carro é aquilo que comumente chamamos de controverso, ao menos para nós, já que para os coreanos ele basicamente seria um carro como outro qualquer. O interessante é que ele seguia a mesma “técnica” do Cruze. Isso quer dizer que o carro reunia certos atributos na sua configuração que acabaram fazendo dele um modelo confiável, além de ser mais fácil de se manter.

O modelo possuía a plataforma Gamma II, mesma plataforma usada no Cobalt. Inicialmente contava com o então moderno motor Ecotec 1.6 16V flex, com capacidade para 120/116 cv. Ele trazia também no bloco a variação nos comandos de válvulas e também no coletor de admissão. Apesar de passar um certo ar de esportividade, o ronco encorpado do motor e as respostas rápidas tinham o seu lado ruim: Consumia demais.


O Sonic era fácil de ser pilotado, aspecto que se tornava mais interessante graças ao equilíbrio de suspensão conseguido pela montadora. Isso trazia para o motorista uma certa sensação de maior segurança sem que o conforto fosse afetado. A direção era leve e precisa e ainda contava com assistência hidráulica. Curiosamente o painel de instrumentos do carro era “inspirado” em motos com tudo digital.

Se havia partes boas também havia aquelas que deixavam a desejar. Entre elas estava o fato de que o porta-malas com capacidade para 265 litros deixava mais do que a desejar. Outro aspecto negativo era o fato de que o carro não possuía cinto de três pontos para o terceiro passageiro do banco traseiro, e isso já nos primeiros carros importados. Além disso, também não havia encosto para a cabeça nesse sentido.

Em termos gerais o Sonic não tinha grandes problemas. Mas ainda assim, o mercado desconfiava muito dele e isso acabou fazendo com que seus preços fossem parar lá embaixo. Uma boa notícia na época para quem queria um carro e estava atento ao mercado.

Por Denisson Soares

Compartilhe esta notícia