Tabela FIPE Chevrolet Opala





Preços da Tabela Fipe para Chevrolet Opala

Legenda:
G = Gasolina ou Flex
E = Etanol
D = Diesel

1992

  • Comodoro/ Comod. SLE 4.1 / 2.5 (G): R$ 19.145,00
  • Diplomata/ Diplom. SLE 4.1 / 2.5 (G): R$ 23.385,00
  • L/SL/SS/ 2.5/4.1 (G): R$ 9.753,00

1991

  • Comodoro/ Comod. SLE 4.1 / 2.5 (G): R$ 17.670,00
  • Diplomata/ Diplom. SLE 4.1 / 2.5 (G): R$ 22.106,00
  • L/SL/SS/ 2.5/4.1 (G): R$ 9.299,00

1990

  • Comodoro/ Comod. SLE 4.1 / 2.5 (G): R$ 15.719,00
  • Diplomata/ Diplom. SLE 4.1 / 2.5 (G): R$ 18.633,00
  • L/SL/SS/ 2.5/4.1 (G): R$ 8.887,00

1989

  • Comodoro/ Comod. SLE 4.1 / 2.5 (G): R$ 13.290,00
  • Diplomata/ Diplom. SLE 4.1 / 2.5 (G): R$ 17.523,00
  • L/SL/SS/ 2.5/4.1 (G): R$ 7.830,00

1988

  • Comodoro/ Comod. SLE 4.1 / 2.5 (G): R$ 12.619,00
  • Diplomata/ Diplom. SLE 4.1 / 2.5 (G): R$ 15.089,00
  • L/SL/SS/ 2.5/4.1 (G): R$ 5.838,00

1987

  • Comodoro/ Comod. SLE 4.1 / 2.5 (G): R$ 10.583,00
  • Diplomata/ Diplom. SLE 4.1 / 2.5 (G): R$ 11.924,00
  • L/SL/SS/ 2.5/4.1 (G): R$ 5.407,00

1986

  • Comodoro/ Comod. SLE 4.1 / 2.5 (G): R$ 9.094,00
  • Diplomata/ Diplom. SLE 4.1 / 2.5 (G): R$ 10.922,00
  • L/SL/SS/ 2.5/4.1 (G): R$ 4.274,00

1985

  • Comodoro/ Comod. SLE 4.1 / 2.5 (G): R$ 8.745,00
  • Diplomata/ Diplom. SLE 4.1 / 2.5 (G): R$ 8.780,00
  • L/SL/SS/ 2.5/4.1 (G): R$ 3.769,00

Confira aqui os preços do Chevrolet Opala na Tabela FIPE.

De ícone a campeão de vendas, o Opala tem uma trajetória de sucesso no Brasil. Afinal, em seus 23 anos, 1 milhão de unidades foram produzidas. E muitas delas continuam atravessando gerações sendo amadas pelos seus donos. Inclusive, hoje ainda há muita procura por Opalas à venda.

Quer saber mais sobre a história do Opala no Brasil? Então nos acompanhe!




Década de 1960: início da história do Opala

Concebido a partir do Projeto 676, o Opala teve sua base a partir do europeu Opel Rekord C, além de potência e design do Impala. Com interesse no mercado brasileiro, a General Motors (GM) começou então a desenvolvê-lo.

Devido a uma grande reserva da pedra opala existente no Brasil, este foi então o nome escolhido para o automóvel.


Dois anos depois, no VI Salão do Automóvel de São Paulo, o veículo foi apresentando ao público nacional. Desse modo, ele era composto de quatro portas, sendo disponibilizado nas versões standard (Opala 2500) e luxo (Opala 3800). Sua aparência requintada acabou fisgando os olhares dos presentes no evento.

Década de 1970: a era dos esportivos

Em 1970, o Opala continuava sua história por aqui lançando o modelo SS, o qual tinha como principal atributo a velocidade, com um motor que podia chegar a 170 Km/h em 12 segundos. Esse modelo é marcado pelos detalhes em cor preta que compõem o seu visual.

Quatro anos depois, 300.000 unidades do veículo eram produzidas no país. Enquanto em 1975, a carroceria do Opala foi remodelada, ganhando um estilo mais moderno. Nesse período, também foi lançada a versão Caravan, com três portas.

Em 1976, o modelo Cupê 250S, um esportivo com motor de seis cilindros e potência de 153 CV, era também disponibilizado para venda.

Década de 1980: novas mudanças de design

Na década seguinte, o Opala estreava com o Diplomata, o qual ganhou formas retangulares, estilo em voga na época. Chamava atenção a presença de ar-condicionado, nova suspensão, acabamento de qualidade e a direção servo-assistida do veículo.

Em 1988, o veículo passou por novas modificações, em que os destaques ficavam por conta dos faróis trapezoidais, volante regulável, botões de acionamento de vidros e retrovisores, além de aquecedor.

No período também foram lançadas as versões Opala, Caravan SL, Comodoro SL/E e Diplomata SE. Já o Opala L era utilizado exclusivamente por autoridades políticas e jurídicas.

Década de 1990: fim da produção do Opala

No início dos anos de 1990, o veículo ganhou novos para-choques, janelas quebra-ventos, controle eletrônico e direção hidráulica. Em 1992, foram produzidos os últimos modelos do Diplomata e da Caravan, encerrando a produção do Opala no Brasil, com uma história cheia de sucesso e status. Assim, o veículo conseguiu manter certo apreço por parte de apaixonados por carros e colecionadores.

Camilla Silva

Compartilhe esta notícia