Tabela FIPE Chevrolet Bonanza



Confira o valor do Chevrolet Bonanza na Tabela FIPE.

A C-1416 que passava a contar com todas as marchas sincronizadas e com um motor de 4,3 litros com 149 cv e 32,1 kgfm, não demorou muito para começar a ser chamada (ou batizada) de Veraneio. O nome basicamente era uma referência ao seu uso para o lazer. Mas, como bem sabemos, ela se tornou mais popular pelo nome de “camburão” policial. Deixando isso de lado, vamos encontrar aqui um bom espaço interno com capacidade para seis ou oito pessoas. Além disso, esse carro tinha uma imponência que chamava a atenção e sem falar da robustez que era perfeitamente adequada a proposta para a qual foi lançada no mercado.

Produzida até no final da década de 1980 em São Caetano do Sul, São Paulo, ela passou por alterações um tanto sutis em relação ao estilo. Tecnicamente isso ocorreu mais precisamente no início e no final dos anos 70. O motor que era um de seis cilindros agora era o do Opala de 4,1 litros. Detalhe que com isso foram colocadas à venda opções movidas a álcool e a gasolina. Entretanto, também tivemos uma Veraneio a diesel com a presença do motor D-10.



Quatro anos após de realizadas algumas reformulações nas picapes, em 1989, época em que a série A/C/D-10 foi substituída pela A/C/D-20, a Veraneio também passou por modificações. Apresentava agora linhas mais retas, direção assistida, ar-condicionado e um painel mais moderno.

Com isso a GM enfim parecia estar interessada e empenhada em ingressar em um segmento que há anos já era explorado por outras marcas ou transformadoras, melhor dizendo, já que faziam adaptações nas cabines duplas ou nas carrocerias de picapes e peruas da Ford e Chevrolet.

Leia também:  Tabela FIPE Fiat Toro


Chegando o ano de 1990, a Bonanza foi lançada. Uma versão de duas portas e com uma distância entre eixos curta com 2,59m em comparação com os 3,23m da Veraneio.

A nova Veraneio marcou presença no mercado até o ano de 1994. Além da motorização, ainda tínhamos o Maxion diesel sendo de quatro cilindros e 4,0 litros. Havia também as opções turbo com 120 cv e a aspirada com 92 cv. A título de curiosidade, a versão Custom Deluxe podia vir contando com controle elétrico das travas e dos vidros. Rodas de alumínio e direção com assistência eletrônica Servotronic são um “privilégio”. Esses “pequenos” detalhes só foram parar no Omega no ano de 2001.

Em 1998 fizeram meio que uma tentativa para que a Bonanza fosse substituída pela Grand Blazer, uma derivada da picape Silverado. Mas a desvalorização do real que aconteceu no próximo ano acabou por elevar os preços e já não havia mais demanda no mercado para um veículo desse porte. Era o fim de uma tradição que havia durado incríveis 40 anos.

Por Denisson Soares

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *