Tabela FIPE Chevrolet Blazer



Confira os valores da Chevrolet Blazer na Tabela FIPE.

No meio dos anos 90, a Chevrolet inovava o conceito de picapes. A montadora resolveu lançar uma linha de picapes de tamanho intermediário, ou seja, não tão pequenas quanto a Saveiro (da Volkswagen) e a Fiorino (da Fiat), mas também nem tão grande quanto a F-1000 (da Ford) e a D-20 (da própria Chevrolet). Assim, inspirada nas importadas Mitsubishi L-200 e na Toyota Hilux, em 1995 surgia a Chevrolet S-10, fabricada em solo brasileiro. Suas linhas arredondadas e seus vidros rentes conferiam à picape da Chevrolet uma ar muito mais moderno que suas concorrentes. No final daquele ano, surgiria o utilitário esportivo derivado da S-10, a Blazer.

Sua primeira versão brasileira tinha motores 2.2 de quatro cilindros, com potência de 106 cv. Um dos diferenciais deste utilitário esportivo era o acabemento, muito parecido com a versão americana da Blazer. Além disso, o conforto aos passageiros, devido ao amplo espaço interno, o grande espaço para bagagens e o design mais atraente que o das picapes, também contribuíram para o sucesso do veículo. Porém, havia um erro a ser corrigido: o motor ainda não era potente o suficiente para obter um bom desempenho com o peso adicional da carroceria.



Em 1996, foram lançadas duas novas linhas: uma com motor 2.5 turbodiesel, que alcançava 95 cv, e uma versão top de linha com motor 4.3, que desenvolvia até 180 cv de potência. Essa configuração tornava o carro como o veículo com maior potência líquida no país naquela época. A Blazer tinha uma aceleração de 0 a 100 km/h em cerca de 11 segundos e uma velocidade máxima, limitada eletronicamente, de 180 km/h.

Em 1998 foi lançada a primeira versão 4×4 do veículo. O ano seguinte traria a primeira reestilização visual do utilitário esportivo, ainda que tímida, apenas com um aumento na grade da tomada de ar na dianteira do veículo. Em 2000, o motor 2.5 saiu de cena para a entrada de um motor 2.8 também a diesel, com potência de 132 cv. Também neste ano, o motor 4.6 dá lugar a um motor 4.3 na versão Top.

Leia também:  Tabela FIPE Chevrolet Tracker


Em 2001, a linha S-10, e consequentemente sua derivada Blazer, tiveram de sofrer alterações para se adequar ao mercado. Líderes de venda, os modelos viam o posto ameaçado pelas novas linhas da Ranger, da Hilux e da L-200. Assim, foi feita uma repaginação completa nos modelos, trazendo faróis trapezoidais, grade mais robusta e um painel mais moderno no interior. Em 2004, o modelo 4.3 foi retirado de linha, sobrando apenas o 2.4. No ano seguinte, a linha 2005 trouxe motores 2,4 a gasolina, com tração 4×2 e 2.8 Turbo Diesel, com tração 4×4.

Em 2009, a fim de evitar concorrência da Blazer com a Captiva, a Chevrolet optou por tirar de venda modelos caros. Assim, sobrou apenas a versão 2.4 Flexpower. Dois anos mais tarde, o último suspiro, com leves mudanças para conferir-lhe um ar mais esportivo. No final do ano, a Blazer sairia de cena para dar lugar ao novo derivado da S-10: a TrailBlazer.

Renato Senna Maia

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *