Tabela FIPE Fiat Panorama



Confira aqui os valores do Fiat Panorama na Tabela FIPE.

Entre os anos de 1980 e 1986, a Fiat lançou a Panorama, a perua da montadora que marcou época e se tornou um ícone clássico. Ela apareceu em um período onde por aqui o hatchback 147 era bem querido e reinava pelas ruas fazendo frente ao Chevette e consequentemente se tornando uma pedra no caminho para a Marajó, a versão SW que era concorrente do 147.

No decorrer de sua passagem pelo mercado de automóveis do Brasil a Fiat Panorama fez história. O modelo apresentava um projeto requintado e resultados atrativos no geral. Além disso, tudo pareceu contribuir até mesmo para o ótimo desempenho que o carro obteve na exportação.



Várias coisas fizeram da Panorama um veículo singular e a tornaram um clássico, algo que foi mais além do que um modelo que era uma simples variação do 147. Vejamos alguns desses aspectos:

Em primeiro lugar, a Panorama pode perfeitamente ser tida com uma perua, de acordo com o seu tempo. Lançada no ano de 1980, ela conseguiu aproveitar o que pôde para ficar atualizada e garantir competividade.



A Fiat Panorama tem sua origem em um dos maiores clássicos da marca e um dos sucessos naquela época: o Fiat 147. A perua chamava a atenção de uma boa faixa de consumidores, já que atendia de forma eficiente aquele público que estava à procura de um carro que apresentasse um bom custo-benefício. Em especial se a economia dissesse respeito ao consumo de combustível.

A Panorama meio que ainda andava ligada ao Fiat 147. Um claro exemplo é que quando este ganhou sua primeira releitura chamada de Spazio, a Panorama agiu rápido para “atualizar” suas características para ficar de acordo com aquele. Porém, o fato era que a essa altura, em 1983, competir com as outras opções que se encontravam disponíveis no mercado estava se tornando cada vez mais complicado.

Leia também:  Tabela FIPE Volkswagen Amarok

Em muitos momentos a trajetória da Panorama aqui no Brasil em diversas fases pareceu não estar em afinidade com os seus projetos. A perua era considerada avançada para época se comparada com as concorrentes (a relação custo-benefício também entra aqui). Esses aspectos poderiam fazer com que a Panorama pegasse de fato a posição de liderança, se bem que ela até conseguiu, mas não durou no posto por muito tempo.

Um dos maiores problemas no caminho da Panorama foi uma surpresa apresentada pela Volkswagen na época: a Parati. A partir disso, a Panorama já teve mais condições de competir em nível de igualdade.

Com a Parati roubando gradualmente as vendas da Panorama até que em 1986, sua produção foi definitivamente encerrada. Em seu lugar veio a Fiat Elba, outra perua, mas com inspiração no Uno.

Por Denisson Soares

Outros Conteúdos Interessantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *