Veículo com Restrição – Veja as Causas Mais Comuns





Confira aqui as causas mais comuns para a restrição de veículos.

As restrições e riscos inerentes a um determinado automóvel são fatores que geralmente são objeto de consulta de possíveis compradores e vendedores de carros, sua pertinência afeta o valor do veículo à disposição no mercado, bem como o interesse do cliente em adquiri-lo. Os chamados fatores impeditivos de compra são vários, mas entre os principais estão:

  • Necessidade de recall: é um risco comum, mas pode ser significativo à segurança do novo dono do carro, caso o antigo proprietário não o tenha feito em tempo hábil. Assim, é como se o novo motorista comprasse um carro já com defeitos não superados, de modo que, a qualquer momento, é em suas mãos que o risco pode aparecer. Por exemplo, falhas de peças que causam acidentes fatais sempre são iminentes quando o recall não é feito;
  • Bem penhorado: Não é nada agradável adquirir um carro e logo depois descobrir que ele era um bem penhorado e, portanto, não poderia ter sido colocado à venda. Pagar por algo pelo qual não poderá ter, uma vez que não é possível fazer a transferência do veículo para o seu nome. O mais indicado é que toda pesquisa seja feita minuciosamente antes de se comprar um carro; desconfiar de condições muito favoráveis ou de um preço muito em conta é dica válida nessa situação;
  • Carros roubados e/ou furtados: comprar um veículo que é produto de roubo ou de furto não apenas envolve o nome do novo proprietário em um processo investigativo criminal, mas o obriga a provar que ele desconhecia essa informação e que não é o ladrão da história, só assim podendo transferir o carro para o seu nome. Mas, antes de se envolver nesse tipo de confusão, vale a pena pesquisar nas polícias para saber se há alguma queixa com relação ao carro, bem como se cercar de toda a ordem de desconfiança e atenção;
  • Carros que já foram a leilão: é preciso conhecer o histórico do carro antes de adquiri-lo. Geralmente os carros que já foram a leilão são mais fáceis de terem seus preços abaixados, tendo em vista a possibilidade de o novo comprador se prejudicar posteriormente;
  • Carros “baixados”: são os veículos que já se envolveram em acidentes graves e se danificaram consideravelmente a ponto de terem danos irrecuperáveis ao chassi, logo, foram retirados do cadastro do DETRAN. Esse tipo de veículo não tem condições de circular e muito menos de ser vendido. São inseguros e, novamente, não podem ser transferidos ao novo proprietário, uma vez que inexistem na teoria.

O mais importante é que o pretenso comprador sempre se atente ao histórico e informações sobre o veículo, sendo esse um modo de não levar prejuízo ou arriscar sua vida!




Flávia Figueirêdo


Compartilhe esta notícia