Venda de carros seminovos está em alta





Carros com até 3 anos de uso são a preferência do consumidor, registrando alta nas vendas.

Não é segredo para ninguém que o mercado automotivo de carros zero quilômetro anda muito mal mergulhado em uma crise que não parece ter fim. Apenas no primeiro trimestre deste ano foi registrada uma queda de 16%. Por outro lado, meio que tentando driblar o problema, as concessionárias de praticamente todo o território nacional estão conseguindo se manter abertas graças a outra linha desse mercado. Na realidade sob este ponto de vista o mês de março até registrou um fechamento positivo com uma alta de 2,3% também nos três primeiros meses do ano. Os tais responsáveis pela “salvação” são os carros usados.

O sucesso dos usados, ao menos por enquanto, se dá praticamente pelo simples fato de que o consumidor está com o orçamento cada vez mais apertado. Com isso, sua atenção em relação ao fator preço está triplicada. E por falar em preço, os usados ainda saem ganhando nesse ponto. Basta compararmos que o valor de um carro novo chegou a subir 7,2% nos últimos 12 meses, os usados, por sua vez, tiveram uma relativa queda de 3,2%.




Na margem dos usados, os modelos seminovos, aqueles que contam com até três anos de uso dominam a preferência do consumidor. Em números as vendas nessa linha ganharam um aumento de 26%.

Pontos que influenciam a decisão de compra:


Com a presença da tecnologia em todos os lugares o consumidor está usando cada vez mais a internet para realizar suas compras. Com isso, as comparações de preços ficam bem fáceis, principalmente entre um veículo 0 km e um seminovo. De acordo com alguns dados levantados sobre esse mercado, um veículo chega a perder 20% de seu valor em apenas um ano de uso.

De acordo com informações divulgadas pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores, a Fenabrave, como consequência do aquecimento do mercado de veículos de segunda mão, o comparativo entre carros usados vendidos para cada novo fica na faixa de 3,7. A título de curiosidade essa é a maior diferença registrada desde o ano de 2005.

Por Denisson Soares

Venda de carros seminovos

Foto: Divulgação

Compartilhe esta notícia