Nova Picape Ford F-250 Lariat chega ao Brasil

Modelo da Ford é a picape mais cara do Brasil.

A montadora americana Ford lançou esse mês sua mais nova picape, a F-250 Lariat 4×4, que foi considerada a picape mais cara do mercado brasileiro. O recém lançamento está sendo importado pela Direct Imports, que é um importador independente da cidade de São Paulo, a salgados R$ 550 mil reais.

O carro é uma obra-prima da engenharia e como se não bastasse, seu público-alvo é bastante seleto, como para outros carros do porte e do nível.

A picape tem cabine estendida e um potente motor V8 Power Stroke de 6.7 litros, que liberam 446 cavalos de força a incríveis 128 kgfm de torque, com um câmbio automático de seis marchas, que trabalha em perfeita sintonia com o motorzão com trocas de marchas quase que imperceptíveis.

Estima-se que o modelo deve chegar em terras brasileiras na primeira semana de fevereiro, somente na versão Lariat, equipada com ar condicionado digital dual zone (que tem controle de temperatura automático) e aquecimento dos bancos do motorista e passageiro, além de um moderno sistema de som com 10 alto- falantes e uma tela de 7" de GPS.

A aparência da picape também é bastante imponente e vem com pintura metálica em dois tons, parachoques dianteiro e traseiro em aço cromado, maçaneta na cor do veículo, além de estribo e faróis de neblina.





A única concorrente direta da F-250 Lariat será a Dodge RAM, que atualmente é vendida no Brasil com importação oficial pela montadora americana Dodge.

A F-250 foi fabricada no Brasil até meados de 2012 e de lá para cá, as picapes grandalhonas foram perdendo espaço para picapes menores como a Ranger e outras concorrentes como a S10 e Amarok, por uma série de motivos como tamanho e consumo de combustível, o que as tornava um carro inviável se olhado do ponto de vista do custo-benefício.

A Ford espera que seu novo lançamento seja um sucesso de vendas e que superem a da sua concorrente, a Dodge.

Os entusiastas de carros desse porte esperam ansiosos pelo lançamento mês que vem e se perguntam se em épocas de crise como essa que assola de norte o sul o Brasil, se é realmente necessário pagar meio milhão de reais por um carro? Bom, quem viver, verá.

Rodrigo Souza de Jesus



Compartilhe esta notícia